OUTUBRO ROSA – EU APOIO ESTA CAUSA!

OUTUBRO ROSA – EU APOIO ESTA CAUSA!<
06/10/2017

Você sabia que a genética não é uma sentença para o câncer de mama?

Durante muitos anos acreditou-se que a herança genética era o principal
responsável pelo desenvolvimento do câncer. Atualmente existe uma ciência
conhecida como epigenética, termo que se refere a “além ou acima da
genética”. Esta ciência nos prova que é possível termos mudanças reversíveis
e herdáveis no genoma funcional sem alterar a sequência de nucleotídeos do
DNA. Em miúdos, ela nos traz que independente da herança genética herdada
de pai para filho, somos capazes de modular a expressão dos genes através
dos nossos hábitos de vida. Embasado pelo que há de mais atual na literatura
científica, a genética representa apenas 10{38daca63331c1b4c3153deb733e3b90a2d84c598910130c407bc908db2a28b64} das probabilidades em
desenvolvimento do câncer, os outros 90{38daca63331c1b4c3153deb733e3b90a2d84c598910130c407bc908db2a28b64}, são representados por fatores
externos.

Imagine o seguinte cenário: Mulher de 40 anos de idade, obesa, empresária,
mantêm-se estressada há anos, usuária de contraceptivo oral por mais de 10
anos, tabagista, apresentou menarca precoce (primeira menstruação) com
importante histórico familiar de câncer de mama. Graças a campanha do
Outubro rosa, ela nos procura para um check up. Após uma extensa anamnese
e detecção de uma série de fatores de risco, solicitamos exames laboratoriais
genéticos para detecção de polimorfismos genéticos. De acordo com os
resultados, esta paciente apresenta alta probabilidade para o desenvolvimento
de câncer de mama, pois apresenta mutações nos genes BRCA1 e BRCA2
(genes responsáveis pelo CA Mama).
A partir do nosso conhecimento acerca da epigenética é possível realizar um
tratamento individualizado a fim de evitar a expressão destes genes mutáveis e
por conseguinte reduzir a probabilidade do desenvolvimento do câncer.

FATORES DE RISCO PARA O CÂNCER DE MAMA:

• Obesidade, principalmente após a menopausa;
• Sedentarismo;
• Uso de contraceptivos orais;
. Péssimos hábitos alimentares
. Stress,
• Consumo excessivo de bebida alcoólicas;
• Exposição frequente a radiações ionizastes (RX)
• Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos;
• Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
• Não ter tido filhos;
• Primeira gravidez após os 30 anos;
• Não ter amamentado;
.Tabagismo

• História familiar de câncer de mama e ovário, principalmente em parentes de
primeiro grau antes dos 50 anos;
• Detecção de genes mutáveis/polimorfirmos da família BRCA ( BRCA 1 e BRCA 2)

FATORES DE PROTEÇÃO PARA O CÂNCER DE MAMA:

• Atividade física regular,
• Alimentação saudável regular: principalmente as crucíferas (couve-flor, couve
de Bruxelas, rabanete, brócolis)
• Suplementação de agentes antioxidantes específicos, por exemplo o indol-3-
carbinol, resveratrol, omega-3, vitamina D, entre outros individualizados…
• Atenuação do stress: Mindfulnes, Yoga, entre outras práticas…
• Boa higienie do sono
• Amamentação adequada

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. –Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Estimativas da incidência e mortalidade por câncer no Brasil. Brasília, 2003. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/mama/fatores_de_risco_1
  2. Austoker J. Screening and self-examination for breast cancer. B Med J 1994; 309:168-74.
  3. Heaney RP. Nutrition and chronic disease. Mayo Clin Proc 2006;81:297-299.
  4. Baines CJ, To T. Changes in breast self-examination behavior achieved by 89,835 participants in the Canadian National Breast Screening Study. Cancer 1990; 66: 570-76
  5. Fletcher SW, O’Malley MS, Earp JL, Morgan TM, Lin S, Degnan D. How to best teach womem breast self-examination: a randomized controlled trial. Ann Intern Med 1990; 112: 772-9.
  6. Hall DC, Adams CK, Stein GH, Stephenson HS, Goldstein MK, Pennypacker HS. Improved detection of humam breast lesions following experimental training. Cancer 1980; 46: 408-14.
  7. Thomas DB, Gao DL, Selg SG, Alisson C.J, Tao Y, Mahloch J, Ray R, Qin Q, Presley R, Porter P. Randomized trial of breast self-examination in Shangai: methodology and preliminary results. J Natl Cancer Inst 1997; 89: 355-65.
  8. Ruchlin HS. Prevalence and correlates of breast and cervical cancer screening among older women. Obstet Gynecol 1997; 90: 16-21. 
  9. Cozzolino, Silvia M.F., Biodisponibilidade de Nutrientes, 2a. edição, pg. 264, Ed. Manole
  10. Kerlikowske K, Grady D, Rubin SM, Sandrock C, Ernster VC. Efficacy of screening mammography. JAMA 1995; 273: 149-54.
  11. Source: Vitamin D. Health Professionals. Dietary Supplement Fact Sheet. National Institutes of Health. Office of Dietary Supplements. June 24, 2011